segunda-feira, 30 de julho de 2012

Reflexões sobre música e técnica


Autor: Marta Castello Branco
Integrante da coleção Sala de Aula, esta obra descreve os aspectos técnicos de um caso de interação entre compositor e intérprete a partir da concepção da música “...como os regatos e as árvores, para canto e flauta” (2006), de Rafael Nassif. Dividido em quatro capítulos, o livro faz uma abordagem detalhada do processo de construção que envolveu a criação da peça musical de Nassif. Apresenta um estudo acerca de suas primeiras interpretações e, a partir desta obra, faz questionamentos sobre a técnica. Autores como Martin Heidegger e Vilém Flusser são abordados pela autora, que propõe um olhar reflexivo sobre o tema.
Preço de lançamento: R$ 20,00

domingo, 29 de julho de 2012

Pela criança que há em nós.


Não deixe sua criança interior morrer. É ela que te salva e não te deixa pirar com as pressões da vida adulta (Joao Pedro C. Motta)

sábado, 28 de julho de 2012

Chamada de trabalhos: Educação e Pedagogias - Problematizações

IV Seminário Nacional de Pesquisa em Educação
V Seminário Nacional de Infância e Educação
V Seminário Nacional de literatura infantil
Tema: Educação e Pedagogias: problematizações
  Período: 24/09 à 28/09/2012
Segunda a sexta-feira
 
O Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e o Núcleo de Educação Básica da Universidade de Santa Cruz do Sul, convida para a o IV Seminário Nacional de Pesquisa em Educação;  V Seminário Nacional de Infância e Educação e o V Seminário Nacional de literatura infantil, com o tema central “ Educação e Pedagogias: problematizações”, a realizar-se entre os dias 24 e 28 de setembro de 2012, na Universidade de Santa Cruz do Sul.
O evento tem por objetivo ampliar a interlocução do Mestrado em Educação da UNISC com outros Programas de Pós-Graduação em Educação oportunizando o diálogo entre colegas/pesquisadores de diferentes instituições nacionais bem como consolidar o espaço da discussão em torno da temática da infância (0-12 anos) na UNISC a partir da divulgação de projetos, ações educativas, produções acadêmicas e culturais.
Prazo para envio de trabalhos: 01 de agosto de 2012
Para maiores informações acesse o sitio do evento: http://www.unisc.br/site/seminario_nacional_pesquisa_educacao_2012/index.html

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Máculas da Alma (REVISTA DA FAEEBA)

( de Walter Fajardo - 23 de junho 2003)
Aos colegas e professores do mestrado da UNEB que, com muita luta e esforço, fazem da sensatez e da perseverança a trilha de uma nova (ou velha) possibilidade.

...assim me torno eu próprio a humanidade;
e se ela ao cabo perdida for, me perderei com ela.
(Goethe)
O que macula a alma não é a dor daquilo que não realizamos
mas o desejo constante e incontido, que do âmago,
transforma-se em febre e destrói nossos sonhos.
O contato com a realidade de coisas mutáveis e insustentáveis.
Frígidas lâminas nos tornam frágeis
e decepam os mais puros desejos e os mais primitivos suspiros.
Irreconhecíveis a nós mesmos!
Nos odiamos se os despertamos ou paralisamos os atos públicos de condenação.
Todos possuem e compartilham olhares comprometedores,
mas passíveis ao cotidiano fosso das cidades, ausentam-se,
ilham-se nas multidões frustradas que se aderem a uma falsa sensação de comunidade
universal.
Não sentem, nem vivem!
No temor latente da aglomeração das tensões, preferem o plástico, o flexível.
Cegam-se!
Em mim toda dor e todo sofrimento se intensificam.
Recolho-me ao que é nato e inato, sem ser redentor,
sem ao menos almejar um possível ato heróico
Amo o mundo e os homens,
amo-os por mim e por eles.
Ainda que odiá-los seja uma propriedade da minh’alma,
é meu desejo amá-los.
Carrego todos os sentimentos
e ouço suspiros temerosos de que as sombras possam ser a eternidade de meus dias
e minhas noites uma escuridão, um betume!
Isso o betume!
Quem sabe o betume do barro preto...
que nos remete a leve sensação de um retorno ontológico, um
lócus,
à fonte emergente donde brotou o
ánthropos.
Preservarei o que há de primitivo, de elementar e de fecundo
Para que do inescrutável, do intangível e da culpabilidade irremediável, possa fluir,
como um regato intermitente,
a outra face,
o oculto,
o imperceptível,
aquilo que ainda não foi dito.
Curvo-me ao tempo
Satisfaço-me em não recorrer aos quantificáveis,
Este é o tempo do incalculável, da não metrificação
Tempo dos fluídos insolidificáveis
Não há retorno, nem volta
Ao olhar, cabe-lhe tudo, todos os espaços
Aos passos, serve-nos caminhar adiante.
Recorro ao barro para compreender o sentido das edificações
e aos oleiros para me impregnar do deleitoso desejo de construir
No inescrutável tateio os eternos limites do saber temporal
No intangível assento-me na possibilidade de uma atitude expansiva e abrangente,
ainda que se apresente como paradoxal.
Na culpabilidade irremediável,
Encontro a angustiante sensação de que algo já poderia ter sido feito
Seguir é o que nos oportuniza. Este é o tempo!
Há uma temeridade, uma nebulosidade que circunda nossos olhares,
A mácula da alma tende a nos atrofiar, a ferir nossos ossos,
a nos tornar pedintes e recorrentes de uma fé que mais purga que liberta.
Se ao tempo sou súdito, rebelo-me contra a submissão de um homem por outro.
Há multiplicidade, há compartimentalização, há códigos indecifráveis,
Mentalidades geneticamente cibernetizadas
Mas há olhares, há homens, mulheres, crianças que todos os dias saem pelas ruas
Cães que vasculham os cantos das cidades
As mãos ainda se entrelaçam e os braços enamorados se envolvem nas noites de frio
Há almas maculadas, como a minha,
que se entristecem em ver
tantos vivos, quase mortos
tantos sorrisos, quase tristes
tantos sonhos, quase pesadelos
Mas que seguem, adiante
Ora cabisbaixo, ora numa alegria utópica e transbordante,
às vezes infantil.
Mas que prefere caminhar
ao invés de sorrir os sorrisos tele-enviados pelas megas inteligências que querem
uma impossível homogeneização.
Nisso eles se fragilizam e nós nos fortalecemos.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

SELEÇÃO PARA ALUNO MESTRADO E DOUTORADO - REGULAR (UNEB)

SELEÇÃO DE ALUNOS REGULAR 2013
Todas as normas para a participação do processo seletivo estão previstas no edital divulgado e
devem ser aceitas na íntegra. Mais informações podem ser obtidas no site do Programa, no
link “Seleção”.
O Mestrado e o Doutorado em Educação e Contemporaneidade não possuem mensalidades.
Inscrições para Seleção Regular 2012:
Mestrado: De 06/08 a 24/08/2012
Doutorado: De 27/08 a 14/09/2012
Programa

ETAPAS E CALENDÁRIO DA SELEÇÃO
 

MESTRADO
Inscrição:
de 06 de agosto de 2012 a 24 de setembro de 2012
Homologação das inscrições:
06 de setembro de 2012
Prova temática:
de realização das provas será indicado a partir de 11 de setembro de 2012, no site do PPGEduC
– www.ppgeduc.uneb.br – e no mural da Secretaria Acadêmica do PPGEduC.
a ser realizada em 16 de setembro de 2012, domingo, das 9h às 12h. O local
Resultados da Prova:
11 de outubro de 2012
Currículo Lattes/Anteprojeto/Memorial:
18 e 19 de outubro de 2012
Resultado Lattes/Anteprojeto/Memorial
: 13 de novembro de 2012
Entrevista:
21, 22 e 23 de novembro de 2012
Resultado final: até o dia 04 de dezembro de 2012
Prova de Língua Estrangeira:
10 a 13 de dezembro de 2012Acolhida dos alunos 2013:

DOUTORADO
Inscrição
: de 27 de agosto a 14 de setembro de 2012
Homologação das inscrições:
02 de outubro de 2012
Currículo Lattes/Projeto/Memorial:
08 e 09 de outubro de 2012
Resultado Lattes/Projeto/Memorial:
10 de novembro de 2012
Entrevista:
19 e 20 de novembro de 2012
Resultado final: até o dia 04 de dezembro de 2012
Prova de Língua Estrangeira:
10 a 13 de dezembro de 2012
Acolhida dos alunos 2013:
10 de dezembro de 2012
Prova de Língua Estrangeira (Mestrado e Doutorado):
etapa da entrevista no período de 10 a 13 de dezembro de 2012, conforme lista dos
candidatos por opção feita na inscrição e divulgada no site do PPGEduC –
www.ppgeduc.uneb.br – e no mural da Secretaria Acadêmica do PPGEduC. O candidato
aprovado que não comparecer para a realização da(s) prova(s) de Língua Estrangeira será
desclassificado.
prova escrita, a ser realizada após a
10 de dezembro de 2012

DOCUMENTAÇÃO PARA INSCRIÇÃO
MESTRADO
2.1 – Ficha de Inscrição preenchida on-line e impressa com indicação de 1 (um) idioma (Espanhol, Inglês, Francês ou Italiano) e da Linha de Pesquisa, conforme escolha do candidato.
2.2 - Uma foto 3X4 recente.
2.3 - Uma cópia da Carteira de Identidade e do CPF (sem autenticação).
2.4 - Uma cópia do Diploma de Graduação (sem autenticação).
2.5 - Uma cópia do Diploma de maior titulação do candidato (sem autenticação).
2.6 - Um comprovante (original) de depósito da taxa de inscrição no Banco Bradesco, Agência
3673-0, Conta Corrente 36.727-3, Código FAPES – Fundação de Administração e Pesquisa
Econômico-Social, no valor de R$ 120,00 (cento e vinte reais). Para o caso de dispensa de
pagamento da taxa de inscrição, o candidato apresenta, junto à sua documentação de
inscrição, a cópia de contra-cheque do último mês, comprovando vínculo com a UNEB (técnico
administrativo ou docente).
DOUTORADO
 
4.1 – Ficha de Inscrição preenchida on-line e impressa com indicação de 2 (dois) idiomas (Espanhol, Inglês, Francês, Italiano) e da Linha de Pesquisa, conforme escolha do candidato.
4.2 - Uma foto 3X4 recente.
4.3 - Uma cópia da Carteira de Identidade e do CPF (sem autenticação).
4.4 - Uma cópia do Diploma de Graduação (sem autenticação).
4.5 - Uma cópia do Diploma de maior titulação do candidato (sem autenticação).
4.6 - Um comprovante (original) de depósito da taxa de inscrição no Banco Bradesco, Agência
3673-0, Conta Corrente 36.727-3, Código FAPES – Fundação de Administração e Pesquisa
Econômico-Social, no valor de R$ 170,00 (cento e setenta reais). Para o caso de dispensa de
pagamento da taxa de inscrição, o candidato apresenta, junto à sua documentação de
inscrição, a cópia de contra-cheque do último mês, comprovando vínculo com a UNEB (técnico
administrativo ou docente).


O processo seletivo, tanto para o mestrado quanto para o doutorado, será desenvolvido em
etapas. Ao final de cada etapa, o resultado será divulgado na página do programa
www.ppgeduc.uneb.br e no mural do PPGEduC. Não serão divulgadas notas ao longo do
processo seletivo. O resultado final será divulgado a até o dia 02 de dezembro de 2012,
juntamente com o calendário de matrícula e relação da documentação correspondente.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Bêabá da Bahia: guia turístico (2ª ed.)


Autor: José Valladares
Publicada 60 anos depois da primeira, esta edição integra a Coleção Nordestina, que reúne livros de editoras universitárias do nordeste brasileiro. Em forma de guia turístico, esta obra apresenta a Bahia sob um ângulo diferenciado e bastante completo, trazendo informações sobre sua história, seu clima, sua população, suas festas, suas religiões, sua culinária, seus artistas, músicas e literatura, tudo através de uma linguagem clara e direta, mas curiosa e perspicaz. Funciona, ainda, como uma fonte de pesquisa para percebermos as mudanças pelas quais a Bahia passou ao longo dos anos.
Preço de lançamento: R$ 20,00

domingo, 22 de julho de 2012

Processo Seletivo 2013 Mestrado e Doutorado - Perfil acadêmico e orientações

 
Universidade do Estado da Bahia
Pró-Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação
Departamento de Educação/Campus I
Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade

Julho / 2012

SOBRE O PPGEduC: considerações históricas
 
O PPGEduC tem por finalidade a produção de conhecimentos na Área de Concentração
Educação e Contemporaneidade, considerado o nível de formação (especialização, mestrado e
doutorado). A organização e a vida acadêmica do PPGEduC preservam o significado
sociocultural e crítico do processo educativo e o caráter multireferencial, pluricultural e
interdisciplinar do referido processo, e são estruturadas por Linhas de Pesquisa, as quais
expressam as temáticas-objeto que constituem o seu eixo-formativo.
I) Contribuir para a elevação da competência acadêmica, científica e profissional da área de
educação daqueles que atuam nas universidades, nas redes de ensino, no setor público, nas
organizações não-governamentais e outras modalidades organizacionais da sociedade civil, e
para o desenvolvimento sustentável das comunidades em seu entorno social;
II) Capacitar profissionais para intervir na realidade educacional nas diversas regiões do Estado
da Bahia, em especial, e em outras regiões marcadas pela pobreza, pela desigualdade social e
pelos desequilíbrios regionais, visando a preservação dos recursos naturais, do patrimônio
cultural e do desenvolvimento humano, com o concurso da cultura, da ciência e da tecnologia,
na perspectiva do desenvolvimento sustentável.
III) Proporcionar uma formação acadêmica que contemple a dimensão da formação do
pesquisador em educação e a dimensão do exercício da docência universitária.
IV) Fomentar, nos Grupos de Pesquisa, a articulação entre os processos formativos
desenvolvidos no ensino de graduação, nos cursos lato sensu, atividades de extensão da Uneb
com a ambiência acadêmica da pós-graduação stricto sensu e o convívio com doutores e
pesquisadores integrantes do PPGEduC/Uneb.
V) Ampliar e consolidar intercâmbios e parcerias institucionais visando a cooperação
acadêmica e técnica para o avanço do conhecimento, considerada a Área de Conhecimento
em Educação e Contemporaneidade.

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

O PPGEduC tem por finalidade a produção de conhecimentos na Área de Concentração
Educação e Contemporaneidade, considerado o nível de formação (especialização, mestrado e
doutorado). A organização e a vida acadêmica do PPGEduC preservam o significado
sociocultural e crítico do processo educativo e o caráter multireferencial, pluricultural e
interdisciplinar do referido processo, e são estruturadas por Linhas de Pesquisa, as quais
expressam as temáticas-objeto que constituem o seu eixo-formativo - disciplinas, pesquisas,
dissertações / teses e publicações.

REFERÊNCIAS E POSTULADOS

DEMOCRACIA PARA A EQUIDADE SOCIAL E A PARTICIPAÇÃO NA FORMULAÇÃO E AVALIAÇÃO
DE POLÍTICAS PÚBLICAS, condição fundamental à desconcentração do poder através da
participação social. Criação de mecanismos e instâncias adequadas para a negociação e a
tomada de decisão quanto às formas de gestão que viabilizem a participação da sociedade.
Abertura de espaços para proporcionar o fortalecimento das organizações comunitárias.

GESTÃO SOCIAL E LOCAL DA INTERVENÇÃO EDUCACIONAL, pressuposto que estabelece que a
estratégia de gestão para o desenvolvimento local sustentável considerará eixos centrais de
prioridades, representativos das maiores potencialidades e das principais carências da região.
Consideração de que a educação é por si própria, um forte indicador de qualidade de vida,
sendo esta medida pelo grau de acesso da população aos serviços, sua extensão e qualidade.
Ênfase nos processos de gestão democrática, nos princípios e valores que definem uma ética
centrada na convivência e solidariedade.

PLURICULTURALIDADE E MULTIREFERENCIALIDADE, pressupostos que implicam na confluência
dos interesses dos diferentes grupos étnicos e das instituições públicas, das organizações
privadas e dos grupos sociais no sentido do bem-estar comum, que é o sentido primeiro de
qualquer proposta de formação de educadores e de desenvolvimento. Com isso, afirma-se que
as etnias e instituições não percam a sua identidade, ao contrário, reforcem os seus papéis
sociais a partir da elevação dos seus níveis de instrução, educação e consciência social e ética.

PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA SOCIAL E DA EDUCAÇÃO, compreendida como elemento
propulsor do resgate e da formação da identidade, com espaços e territórios a serem
preservados e resgatados, entre eles o espaço da escola.

DIMENSÕES EXPERIENCIAIS DA VIDA E DA FORMAÇÃO, como princípios que subsidiam a
formação e desenvolvimento profissional docente em seus diferentes níveis e modalidades,
com ênfase nos estudos sobre histórias de vida, representações sociais, mídia e cotidiano,
docência universitária do domínio da formação de professores.

A SUSTENTABILIDADE NA EDUCAÇÃO, que implica universalidade da escola, equidade,
integralidade e eficácia da oferta da educação básica, requisito fundamental para a
implantação de um projeto de educação reforçador da identidade, da memória e do
desenvolvimento de um povo. À sustentabilidade interna do sistema educacional (evitando o
desperdício, a improdutividade e a desqualificação), soma-se a idéia de sustentabilidade
externa, a articulação entre educação e processo social, o que se realiza através da aquisição,
pelos cidadãos, dos conhecimentos básicos da cultura letrada e dos conhecimentos e
competências que os habilita ao domínio de seu território e a inserção no processo produtivo.

A LÓGICA HIPERTEXTUAL, que se refere ao funcionamento por associação complexa,
risomática, tendo na estrutura de rede um meio/fim para a transformação da prática
pedagógica, no sentido de fazer avançar a compreensão da relação homemmáquina e da
educação-comunicação, superando-se a ênfase dicotômica e garantindo-se a produção de
conhecimento e da cultura.

LINHAS/GRUPOS DE PESQUISA E CORPO DOCENTE
1

Lpq 1 - Processos Civilizatórios: Educação, Memória e Pluralidade
Cultural
Aprofunda questões teórico-metodológicas postas pelos processos civilizatórios e seus
impactos sobre as atividades e práticas educativas. Estuda os processos civilizatórios
vinculados à formação do povo brasileiro, na negação de uma relação unívoca da escola à
visão eurocêntrica de mundo. Trabalha a dimensão da memória como elemento constitutivo /
construtor de identidades múltiplas, plurais e, no respeito à alteridade, busca a construção de
uma ética de convivência, constituída tanto no interior da escola como fora dela. São
docentes desta linha:
Alfredo Eurico Roberto da Matta
Ana Célia da Silva
Delcele Mascarenhas Queiroz
Elizabete Conceição Santana
Gilmário Moreira Brito
Jaci Maria Ferraz Menezes
Kátia Maria Santos Mota
Lívia Alessandra Fialho da Costa
Luciene Maria da Silva
Luciano Costa Santos
Marcos Luciano Messeder
Narcimária Correia do Patrocínio Luz
Sueli Ribeiro Souza
Wilson Roberto de Mattos
Grupos de Pesquisa vinculados a LPq1:
Memória da Educação na Bahia
Líder - Jaci Maria Ferraz Menezes e Elizabete Conceição Santana
Descolonização e Educação - PRODESE
Líder - Narcimária Correia do Patrocínio Luz
Educação, Desigualdade e Diversidade
Líder: Delcele Mascarenhas Queiroz
Firmina - Pós-Colonialidade: Educação, História e Ações Afirmativas
Líder - Wilson Roberto de Mattos
1
podem acompanhar, com relação a cada ano/turma: a indicação refere-se até quantos orientandos um professor-orientador
poderá assumir. Tal disponibilidade observa a situação docente com relação à carga-horária dedicada a orientações em curso
(iniciação científica, graduação, especialização, mestrado, doutorado), pesquisa, docência, gestão, etc., conforme recomendações
da Área de Educação e das Portaria 001 e 002 da CAPES.
As atividades de orientação observam a disponibilidade dos docentes, os quais indicam o número máximo de orientandos que
GRAFHO - Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral
Líderes - Kátia Maria Santos Mota e Elizeu Clementino de Souza
Estudos Sobre Inclusão e Sociedade
Líder - Luciene Maria da Silva

LPq 2 - Educação, Práxis Pedagógica e Formação do Educador
Estuda questões teórico-metodológicas historicamente situadas com foco na práxis
pedagógica e na formação do educador na contemporaneidade. Discute aspectos
epistemológicos sobre formação de professores em seus diferentes níveis e modalidades de
ensino e se referencia nos objetos de estudo sobre memória, cotidiano, histórias de vida,
afeto, representações sociais, estudo do lazer e as práticas culturais de leitura no contexto da
formação docente. Analisa a formação do professor-pesquisador, questionador de sua práxis,
autor que ressignifica seu saber e conhecimento, posto que expressa seu lugar e posição de
professor-sujeito na compreensão e transformação do seu campo de atuação, em articulação
com a construção de uma nova epistemologia da formação na contemporaneidade.
Grupos de Pesquisa vinculados a LPq2:
GRAFHO - Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral
Líderes - Elizeu Clementino de Souza e Kátia Maria Santos Mota
Literatura e Ensino: Tecendo Identidades, Imprimindo Leituras
Líder - Verbena Maria Rocha Cordeiro
GEPE(RS) - Grupo de Estudos em Psicanálise, Educação e Representação social
Líder - Maria de Lourdes Soares Ornellas Farias
DUFOP – Docência Universitária e Formação de Professores
Líder - Sandra Regina Soares
Desenvolvimento Social
Líder - Liana Gonçalves Pontes Sodré
GEFEL.COM - Grupo de Estudo Formação de Educadores, Lazer, Comunicação e Memória
Líder - Augusto Cesar Rios Leiro
Augusto Cesar Rios Leiro
Elizeu Clementino Souza
Jane Adriana Vasconcelos Pacheco Rios
Liana Gonçalves Pontes Sodré
Maria de Lourdes Soares Ornellas Farias
Sandra Regina Soares
Verbena Maria Rocha Cordeiro

LPq 3 - Educação, Gestão e Desenvolvimento Local Sustentável
Estudo dos processos educativos e dos fenômenos implicados na relação educação-gestãodesenvolvimento,
com ênfase nas problemáticas contemporâneas vivenciadas pelas diferentes
comunidades e regiões. Analisa as características socioeconômicas, político-culturais e
educacionais da realidade local/regional dos municípios sede da UNEB e seus entornos,
buscando explicar as determinações do processo educativo na formulação e a avaliação de
políticas públicas. São docentes desta linha:
Antonio Dias Nascimento
Avelar Luiz Bastos Mutim
Eduardo José Fernandes Nunes
Ivan Luiz Novaes
Nadia Hage Fialho
Ronalda Barreto Silva
Grupos de Pesquisa vinculados a LPq3
Educação do Campo e Contemporaneidade
Líder - Antonio Dias Nascimento
EduReg - Educação, Universidade e Região
Líderes - Nadia Hage Fialho e Avelar Luiz Bastos Mutim
Grupo de Pesquisa em Gestão Educacional e Formação de Gestores
Líder - Ivan Luiz Novaes
Teoria Social e Projeto Político-Pedagógico
Líder - Eduardo José Fernandes Nunes
Educação, Políticas Públicas e Tecnologias Sociais
Líder - Ronalda Barreto Silva
Educação Ambiental, Políticas Públicas e Gestão Social dos Territórios
Líder – Avelar Luiz Bastos Mutim

LPq 4 – Educação, Currículo e Processos Tecnológicos
Geração, difusão e aplicação de conhecimentos sobre as possibilidades de relação entre
Educação, Currículo e Processos Tecnológicos, estes últimos considerados como princípios
criativos e transformativos, reconhecendo no primado material e simbólico constituinte da
condição humana a gênese das expressões tecnológicas, bem como dos potencias de
mudanças qualitativas que representam para os processos educacionais e curriculares. Neste
sentido, as TIC, segundo seu caráter proposicional e hipertextual, reinscrevem um modo de ser
e pensar fundados na diferença, na singularidade, na colaboração, na complexidade, no
dinamismo, os quais são metáforas poderosas para geração de diferentes expressões
educacionais e curriculares, numa abordagem crítica, não paradigmática, articuladas na
relação complexa de diferentes e necessários registros: político-econômico; sócio-culturalhistórico
e, sobretudo, subjetivo. São docentes desta linha:
Arnaud Soares de Lima Junior
Lynn Rosalina Gama Alves
Maria Olívia de Matos Oliveira
Tânia Maria Hetkowski
Grupos de Pesquisa vinculados a LPq4
CV - Comunidades Virtuais
Líder - Lynn Rosalina Gama Alves
Tecnologias Inteligentes e Educação
Líderes - Arnaud Soares de Lima Junior e Tânia Maria Hetkowski
Geotecnologias, Educação e Contemporaneidade - GEOTEC
Líder - Tânia Maria Hetkowski
Sociedade em Rede, Pluralidade Cultural e Conteúdos Digitais Educacionais
Líder - Maria Olívia de Matos Oliveira

ESTRUTURA ACADÊMICA / CURRICULAR

O Currículo do PPGEduC - Mestrado e Doutorado - está composto por um conjunto de
disciplinas obrigatórias do Curso, disciplinas obrigatórias das Linhas de Pesquisa, disciplinas
optativas, atividades obrigatórias de pesquisa e outras atividades acadêmicas (seminários,
produção de textos, artigos, organização e participação em eventos, etc.). A oferta de
disciplinas a cargo das Linhas de Pesquisa pode variar nos semestres letivos, em razão dos
trabalhos de pesquisa em andamento e dos intercâmbios acadêmicos estabelecidos pelo
Programa.

MESTRADO

O currículo do Mestrado é formado por disciplinas obrigatórias, que integram o tronco
comum, por disciplinas associadas às Linha de Pesquisa, disciplinas optativas, além das
atividades obrigatórias de pesquisa e de docência.
Disciplinas obrigatórias / tronco comum:
a) Bases Filosóficas da Contemporaneidade;
b) Educação e Contemporaneidade;
c) Pesquisa em Educação.
Disciplinas/LPq 1
a) Educação e Pluralidade Cultural;
b) Educação, História e Memória Social;
c) Educação e Desigualdade.
- Processos Civilizatórios: Educação, Memória e Pluralidade Cultural:
Disciplinas/LPq 2
a) Formação do Educador;
b) Educação, Pesquisa e Práxis Pedagógica
c) Educação e Subjetividade e Formação.
- Educação, Práxis Pedagógica e Formação do Educador
Disciplinas/LPq 3
a) Política Educacional Brasileira;
b) Educação e Desenvolvimento Local Sustentável;
c) Planejamento, Gestão e Avaliação da Educação.
- Educação, Gestão e Desenvolvimento Local Sustentável:
Disciplinas/LPq 4
a) Educação e Processos Tecnológicos;
b) Currículo e Sociedade;
c) Políticas Públicas de Educação e TIC.
– Educação, Currículo e Processos Tecnológicos
Disciplinas optativas
Tópicos Especiais em Educação
Atividades obrigatórias de pesquisa
Estudos Orientados
Tirocínio Docente Orientado
Seminários Orientados de Pesquisa
Fórum de Pesquisa
Dissertação
A integralização curricular do mestrado dar-se-á mediante cumprimento de 39 (trinta e
nove) créditos correspondentes a 855 (oitocentas e cinqüenta e cinco) h/a, assim distribuídas:
12 (doze) créditos teóricos nas disciplinas obrigatórias;
6 (seis) créditos teóricos nas disciplinas específicas de Linhas de
Pesquisa;
3 créditos teóricos em disciplina optativa;
3 (três) créditos atividade em Estudos Orientados;
2 (dois) créditos atividade em Tirocínio Docente;
3 (três) créditos atividade em Fórum de Pesquisa em Educação;
10 créditos atividade em Dissertação.

DOUTORADO

O doutorado aprofunda, na sua estrutura lógico-conceitual, as concepções que tomam como
eixo condutor a relação entre Educação e Contemporaneidade, expressa no conjunto de
atividades componentes de cada nível de formação, e o respeito à especificidade de cada um
assim como a pertinência com o perfil da formação correspondente.
A estrutura curricular do doutorado agrega disciplinas obrigatórias e atividades obrigatórias de
pesquisa, na perspectiva didática de aprofundamento conceitual das categorias analíticas e
referências teórico-metodológicas presentes na relação Educação e Contemporaneidade,
adequadas à formação do pesquisador-doutor, com creditação própria.
Disciplinas obrigatórias
Estudos Avançados de Educação e Contemporaneidade.
Seminário de Formação Teórico – Metodológica I.
Seminário de Formação Teórico-Metodológica II.
Atividades obrigatórias
Pesquisa Orientada
Fórum Pesquisa em Educação
Estudo Individual Orientado
Seminário Educação e Contemporaneidade
Disciplina Optativa
Produção Científica (participação em eventos e publicações)
Tese
A integralização curricular para a formação em nível de doutorado, dar-se-á num período
máximo de 4 (quatro) anos e corresponde ao total geral de 49 (quarenta e nove) créditos e
1.275 (hum mil duzentas e setenta e cinco) horas-aula, conforme detalhamento:
15 (quinze) créditos de disciplinas obrigatórias;
14 (quatorze) créditos de atividades obrigatórias;
20 (vinte) créditos de Tese defendida e aprovada;


O Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) está vinculado,
academicamente, ao Departamento de Educação do Campus I, da Universidade do Estado da
Bahia (Uneb) e compreende a pós-graduação em educação stricto-sensu e lato-sensu na área
da Educação, de conformidade com o disposto na Resolução CONSEPE n.º 214, de 24 de julho
de 1998, publicada no Diário Oficial em 1 e 2 de agosto de 1998.
Implantado em 2001, com a instalação da sua primeira turma de mestrado, o PPGEduC obteve
na sua primeira avaliação trienal (2001-2003) conceito 4 e o manteve na segunda (2004-2006)
e terceira avaliação ((2007/2009), assegurando, assim a possibilidade de instalar o curso em
nível de doutorado, completando sua condição de Programa de Pós-Graduação já credenciado
pela CAPES, participando dos processos de avaliação institucional (anual e trienal). Trata-se de
um Programa que vem demonstrando significativo crescimento acadêmico, tanto com relação
à sua produção acadêmica, ao número de alunos, de doutores e pesquisadores que tem
agregado ao longo da sua trajetória, como em relação ao reconhecimento que tem alcançado,
nacional e regionalmente, perante a comunidade acadêmica, inclusive como sócio institucional
da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação-ANPEd e membro do
Fórum de Programas de Pós-Graduação-FORPRED.
O PPGEduC possui reconhecida qualidade, ampliando-a anualmente, tanto na perspectiva da
infra-estrutura acadêmica (corpo docente, produção acadêmica e publicações, parcerias
institucionais, intercâmbios técnicos e acadêmicos, grupos de pesquisa, etc.) e normativa
(legislação, normas, regimentos, etc.) como da infraestrutura física (instalações, equipamentos
e material permanente) e orçamentária-financeira (suporte às suas atividades meio e
finalísticas).
Desde sua concepção inicial o PPGEduC assume referências e postulados que possibilitam
verticalizar sua Área de Concentração, através dos seguintes princípios: Democracia para a
equidade social e a participação na formulação e avaliação de políticas públicas; Gestão social
e local da intervenção educacional; Pluriculturalidade e multireferencialidade; Preservação da
memória social e da educação; Dimensões experienciais da vida e da formação; A
sustentabilidade na educação; A lógica hipertextual.
A trajetória histórica e o movimento de formação potencializado pelo PPGEduC tem
contribuído para a consolidação da pesquisa e da pós-graduação na UNEB ao destacar a
elevação da competência acadêmica, científica e profissional da área de educação no contexto
institucional.


OBJETIVOS

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Formação, trabalho, sociedade e conhecimento: a escuta de conceitos enredados no cotidiano do sujeito


Organizadoras: Adriana Paula Oliveira Santos e Vera Fartes

Dividida em três blocos, esta publicação entende que a formação requer o sujeito na sua singularidade, mas também nas suas condições de vida coletiva. Relacionando-se intrinsecamente com a educação, a construção de identidade do indivíduo e as exigências do mundo do trabalho na sociedade contemporânea, a formação exige a interação entre o pessoal e o social, o eu e o outro. Assim, esta obra apresenta e problematiza temas importantes para reflexão sobre educação, formação, diversidade, trabalho, desenvolvimento profissional, sociedade e o conhecimento na atualidade.
Preço de lançamento: R$ 30,00

quinta-feira, 19 de julho de 2012

SELEÇÃO PARA ALUNO MESTRADO E DOUTORADO - REGULAR (UNEB)

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADEDEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO I - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB

O PPGEduC (Mestrado/Doutorado) realiza três seleções anuais: uma para aluno regular - aquele que obtêm o título em Mestre e de Doutor em Educação e Contemporaneidade - e duas para alunos especiais - aqueles que cursam disciplinas do Mestrado/Doutorado em até dois semestres e, caso se torne aluno regular numa próxima seleção, terá essas disciplinas dispensadas, após solicitação de aproveitamento de estudos.
Cada uma das três seleções são regidas por Edital próprios, que determinam valor da inscrição, documentos necessários e informações adicionais, previamente divulgados e disponibilizados na pagina inicial do PPGEduC e no Diário Oficial do Estado.
O Mestrado e Doutorado Acadêmico em Educação e Contemporaneidade não possuem mensalidades.

BREVE PUBLICAREMOS O EDITAL DE SELEÇÃO.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

GREVE DE PROFESSORES

Como beber dessa bebida amarga?
Tragar a dose, engolir a labuta?
Mesmo calada a boca, resta o peito
Silêncio na cidade não se escuta

De que me vale ser filho da santa?
Melhor seria ser filho da outra

Outra realidade menos morta
Tanta mentira, tanta força bruta

Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice

De vinho tinto de sangue


Como é difícil acordar calado
Se na calada da noite eu me dano
Quero lançar um grito desumano
Que é uma maneira de ser escutado


Esse silêncio todo me atordoa
Atordoado, eu permaneço atento
Na arquibancada pra a qualquer momento
Ver emergir o monstro da lagoa


Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue


Cálice, cálice, cálice

De muito gorda a porca já não anda
De muito usada a faca já não corta
Como é difícil, pai, abrir a porta
Essa palavra presa na garganta


Esse pileque homérico no mundo
De que adianta ter boa vontade?

Mesmo calado o peito, resta a cuca
Dos bêbados do centro da cidade

Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue


Talvez o mundo não seja pequeno
Nem seja a vida um fato consumado
Quero inventar o meu próprio pecado
Quero morrer do meu próprio veneno


Quero perder de vez tua cabeça
Minha cabeça perder teu juízo
Quero cheirar fumaça de óleo diesel
Me embriagar até que alguém me esqueça
 
 

segunda-feira, 16 de julho de 2012

ROSA VIRGINIA MATTOS E SILVA

Importante nome da linguística histórica brasileira, Rosa Virgínia Mattos e Silva.
 Deixa saudades.

domingo, 15 de julho de 2012

Pagodes baianos: entrelaçando sons, corpos e letras

Autor: Clebemilton Nascimento
As letras das músicas de pagode produzidas na Bahia nas duas últimas décadas são entendidas nesta obra como espaços de produção de significados sociais. A partir delas, o autor analisa de que forma as relações de poder entre homens e mulheres estão sendo forjadas e representadas nos discursos produzidos por essas músicas. Constatando que a imagem feminina no pagode baiano é sempre construída a partir do olhar masculino, o livro toma a sexualidade como um fator determinante da mudança social na contemporaneidade.
Preço de lançamento: R$ 20,00

terça-feira, 10 de julho de 2012

livros da edufba - Prisões numa abordagem interdisciplinar

Prisões numa abordagem interdisciplinar
Organizadores: Maria Thereza Ávila Dantas Coelho e Milton Júlio de Carvalho Filho
Esta obra tem como principal objetivo colaborar com as discussões sobre o sistema prisional brasileiro e a reforma iniciada no século XIX. Resultado das reflexões de pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento, como Medicina, Administração e Sociologia, oferece ao leitor a possibilidade de conhecer e questionar aspectos históricos, sociais e econômicos do contexto contemporâneo do sistema prisional brasileiro. Nos artigos, são problematizadas questões como o crescimento mundial do número de prisioneiros, a participação privada na gestão das prisões e o perfil dos agentes penitenciários.
Preço de lançamento: R$ 25,00

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Arteterapia e Saúde Emocional de Pacientes em Tratamento no CAPS

Arteterapia e Saúde Emocional de Pacientes em Tratamento no CAPS

Resumo: Os Centros de Atenção Psicossociais - CAPS surgiram a partir da Reforma Psiquiátrica apresentando uma nova concepção de cuidado para pacientes com transtornos mentais. Estes formam um grupo, carente de ações que se direcionem às suas necessidades, bem-estar e inserção social. É nesse contexto que as atividades artísticas aparecem como eficiente método terapêutico adjuvante para esse grupo de pacientes. A Arteterapia resgata o potencial criativo do homem, buscando uma psique saudável e estimulando a autonomia e transformação interna com a finalidade de reestruturação do ser. Uma vez instalado o comportamento de representar, com recursos artísticos, emoções, sensações e pensamentos, os comportamentos disfuncionais são passíveis de serem modificados frente às suas representações. Desse modo, possibilitam uma clareza do transcurso habitual entre ambiente (estímulo), pensamento e sentimento para o indivíduo, promovendo assim, o autocontrole. O objetivo do presente estudo foi conhecer até que ponto, estimular atividades artísticas para os pacientes psiquiátricos, em forma de tratamento complementar, ajuda a desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes, dentro de suas limitações, facilitando sua inserção social. O método da pesquisa-ação, foi realizado no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III), em Juazeiro do Norte-CE, através de encontros de atividades artísticas e oficinas, junto com a equipe de psicoterapia da instituição. Os resultados levaram a crer  que tais atividades estimularam a concentração dos usuários desse serviço de saúde, auxiliando em seu tratamento. Conclui-se pois, que o tratamento extra-hospitalar oferecido pelo CAPS desempenha um papel fundamental na reinserção familiar e social, opondo-se ao antigo regime hospitalocêntrico.
Palavras-chave: CAPS, arteterapia, inclusão social.

Introdução

A partir da Reforma Psiquiátrica, houve grandes mudanças associadas ao tratamento dos transtornos mentais. Anteriormente, o tratamento submetia os indivíduos à exclusão social sendo então necessária uma nova concepção de cuidado com esses doentes, buscando melhor qualidade de vida para estes e retirando-os do ambiente dos manicômios, reinserindo-os assim na sociedade. Com esse objetivo, surgiram os Centros de Atenção Psicossociais (CAPS), onde a Terapia Ocupacional procura resgatar o convívio destes indivíduos com a sociedade.  “Neste contexto extra-hospitalar, a arte assume um papel de extrema importância, viabilizando o processo de reabilitação e inclusão sócio-familiar dos portadores de transtornos mentais e priorizando o tratamento do paciente como um todo” (RISSATO; CROTTI; ANTONELI, 2008).
A Arteterapia é uma atividade de estimulação à execução de imagens pela expressão artística, buscando respostas em pacientes para que possam se auto-observar, promovendo reflexões sobre o desenvolvimento pessoal, habilidades, interesses, preocupações e conflitos. Uma vez instalado o comportamento de representar com recursos artísticos emoções, sensações e pensamentos, comportamentos disfuncionais são passíveis de serem modificados frente a suas representações. Desse modo, possibilitam uma clareza do transcurso habitual entre ambiente (estímulo), pensamento e sentimento para o indivíduo, promovendo assim, o autocontrole (CARVALHO, 2001).
É nesse contexto de novos métodos terapêuticos para pacientes com transtornos mentais, que este trabalho vem reforçar a divulgação da arte como meio adjuvante no tratamento desses pacientes, visto que a melhora dos sintomas requer além do tratamento medicamentoso, a utilização de outros recursos como terapia. Dessa forma, atividades de lazer, apoio e atenção de amigos e familiares ajudam a desenvolver o potencial criativo desses indivíduos. Nesse sentido, a realização de oficinas de arte estimula a aquisição de novas habilidades profissionais e autoestima, unindo a educação e qualidade de vida (SIQUEIRA E BARJA, 2009).
O projeto “A arte como recurso terapêutico em pacientes com transtornos mentais” mantido pelos acadêmicos de medicina da Universidade Federal do Ceará nos centros de Atenção Psicossociais de Barbalha e juazeiro do Norte, visam o desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes dos pacientes psiquiátricos dentro de suas limitações. Além disso, criam condições para que os pacientes com transtornos mentais possam inserir-se plenamente na sociedade. Também realizam atividades lúdicas visando, não somente o lazer, mas principalmente buscando desenvolver ações educativas e incentivando a abertura e realização de novas ações na área de saúde mental.
Assim, como forma de avaliar o trabalho de extensão dos acadêmicos de medicina da Universidade Federal do Ceará, procurou-se conhecer até que ponto, estimular atividades artísticas para os pacientes psiquiátricos, em forma de tratamento complementar, ajudaria a desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes, dentro de suas limitações, facilitando sua inserção social.

Método

O método constou de uma pesquisa-ação, na qual as ações foram realizadas de modo a intervir na realidade da população, após investigação e análise de necessidades. Esse tipo de pesquisa visa promover uma transformação, visto que pesquisa e ação, devem caminhar juntas.
Optou-se por utilizar esta metodologia crítica, pois a transformação é vista como uma necessidade dos sujeitos, percebidas pelo pesquisador. Além disso, esta metodologia valoriza a reflexão crítica do processo, assim como a emancipação dos sujeitos.
A pesquisa-ação crítica envolve a perspectiva dos sujeitos, da população em estudo, buscando uma transformação da realidade a qual os sujeitos estão inseridos (FRANCO, 2005).
O estudo foi conduzido no Centro de Atenção Psicossocial, na cidade de Juazeiro do Norte-CE, sul do estado do Ceará, nos meses de março a dezembro de 2011.
Juazeiro do Norte é um município que conta com população aproximada de 250 mil habitantes, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2009 (IBGE, 2000).
A amostra foi composta por usuários do Centro de Atenção Psicossocial em Juazeiro do Norte-CE. A instituição contava, à época do estudo, com aproximadamente 450 usuários cadastrados. As atividades de terapia ocupacional são abertas para toda a população.
Os critérios de inclusão para participação no estudo foram: a) usuários do CAPS que se encontravam no local, na data marcada para os encontros; b) indivíduos que decidiram participar voluntariamente.
Conforme o estudo tenha sido feito como uma pesquisa-ação, a coleta de dados seguiu as etapas propostas para este tipo de estudo, a saber: planejar uma melhoria da prática, agir para implantar a melhoria planejada, monitorar e descrever os efeitos da ação e, por fim, avaliar os efeitos da ação (TRIPP, 2005). Foram realizadas atividades, envolvendo os usuários do CAPS, em encontros realizados mensalmente, abordando diversas áreas nos temas de arte e cultura. As ações foram discutidas com a equipe de trabalho de modo a também motivar diretamente, os profissionais de saúde desse serviço.
A apuração dos resultados foi realizada através de discussão com os profissionais e representantes dos familiares, em forma de rodas de conversa.
Após a coleta de dados, estes foram organizados, analisados e interpretados à luz da literatura científica sobre a temática.

Resultados e Discussão

As ações foram desenvolvidas de março a dezembro de 2011, envolveram oficinas terapêuticas, com atividades artísticas em diversas temáticas da atualidade, dentre as quais, oficina de música com participação de músico, e dos próprios usuários como estímulo a arte; atividades de criatividade com desenhos e colagem; atividades de dança, dentre outras modalidades.
Em outros encontros, foram dirigidas apresentações de teatro com artistas da região, assim como a realização de oficinas de artesanato.
Observou-se que tais atividades estimularam a concentração dos usuários desse serviço de saúde, auxiliando-os no seu tratamento.
Percebeu-se que os pacientes com transtornos mentais devem ser estimulados a viverem em sociedade, sem que haja temor ou preconceitos por parte da população, que em muitos casos, ainda continua tratando-os como loucos, sem nenhuma expectativa de inserção social. Observe-se as seguintes falas dos familiares dos usuários:
A gente leva às vezes para passear [...] sempre que tem alguma coisa que a gente possa fazer por ele...[...] mas aqui ele parece que se sente alegre junto com os outros, participando.... para ele é muito bom. [E.F.O.]
Quando tem festa, ela leva convite, eu venho e participo também. É ótimo. Ela gosta é muito [M.J.S.]
De acordo com as entrevistas, alguns familiares e profissionais consideram as oficinas como importante instrumento de tratamento a pessoa em sofrimento psíquico, pois oportuniza aprender algo que lhes possa ser fonte de renda, como também, formar laços de amizade, adquirir hábitos de responsabilidade, entre outros; além de ser uma forma de inserção social.
Acho bom, esse trabalho daqui que ela faz, para ela também é bom, se distraí, fica ali conversando com as pessoas, quando vê está fazendo alguma coisa interessante...[...]. E eles podiam até vender [...] Muito bom.[M.F.S.]
Aqui nas oficinas, Ele pinta [...] dança [...] e faz qualquer tipo de aula de arte [...] eu vejo que ele sabe até ensinar a costurar. [G.P.S.]
As atividades artísticas vêm representando um papel muito importante neste tipo de intervenção, pela inserção de formas novas de tratar pessoas com comprometimentos psiquiátricos, em ambulatório. Isso proporciona um olhar mais amplo do ser humano por trás dos seus transtornos psicológicos.
Eu acho ótimo [...]. As oficinas são muito importante, é necessário na vida de todos
[...] atividade de arte é muito importante. [J.U.C.]
Aqui tem poucas atividades físicas pela manhã [...] aula de educação física, mas falta outras atividades [...] tem que ter um serviço especial para aqueles que não gostam de entrar nas oficinas, que às vezes ficam no quarto [...] eu observo isso. [C.G.C.]
As atividades desenvolvidas parecem abrir portas para o resgate da identidade do indivíduo, principalmente, quando se tem acesso a sua história de vida. Esta atitude permite tomada de ações que valorizam mais as suas habilidades e potencialidades.
O usuário tem a liberdade de participar ou não das oficinas garantido a autonomia da pessoa em escolher e participar daquilo que mais gosta, visando assim que o usuário se privilegiar das atividades que o CAPS oferece.
Eles tem total liberdade de escolher a oficina que quer ficar ou não. [...] os alunos fazem oficinas diferentes em cada encontro. Isso é muito bom. Quando ele não quer, ninguém obriga. [E.F.M.]
Mesmo assim, observou-se a necessidade da manutenção de drogas psicotrópicas, principalmente em casos de pacientes com sintomas psicóticos.
As atividades artísticas parecem ter peoporcionado uma maior motivação para a participação e envolvimento na atividade terapêutica, e uma melhor compreensão do paciente, de sua realidade e de seus pensamentos e emoções.
As fotos abaixo, registram momentos do trabalho.
100_1381.jpg100_1380.jpg
O trabalho comprometido que o Centro de Atenção Psicossocial de Juazeiro do Norte oferece a sua comunidade é de valiosa importância para os usuários e também para reforma psiquiátrica, pois demonstra o quanto a luta antimanicomial tem ganhado espaços no nosso país.
Esse serviço tem se comprometido através das atividades terapêuticas em realizar um
trabalho árduo de acompanhamento, cuidado e reinserção social da pessoa com transtorno mental.
Acreditamos que a parceria com a Universidade Federal do Ceará, através da oficina de Arte como Recurso Terapêutico deve ser introduzida em outros serviços, pois é uma atividade rica para o aprendizado, para a autonomia e para a inserção da pessoa em sofrimento emocional na sociedade. E que essas atividades sejam aprimoradas e fortalecidas dentro do serviço com a participação de todos os atores sociais que participam desse processo.
Conclusão
O transtorno mental pode, dependendo da atitude que se tenha para com as pessoas acometidas, excluir o paciente da sociedade, devido a sua dificuldade de integração consigo mesmo e com os demais indivíduos. Ressalta-se a importância de um tratamento extra-hospitalar, como por exemplo, os Centros de Atenção Psicossociais – CAPS, considerados como dispositivos na rede de atenção substitutiva e extra-hospitalar, que desempenham um papel fundamental na reinserção familiar e social de pessoas portadoras de transtornos mentais. Trata-se de uma modalidade de tratamento que se opõe ao regime hospitalocêntrico.
A Terapia Ocupacional nestes Centros de reabilitação exerce um papel importante, tendo como um dos objetivos a reabilitação Psicossocial.


Fonte: Arteterapia e Saúde Emocional de Pacientes em Tratamento no CAPS - Saúde Mental - Psicopatologia - Psicologado Artigos http://artigos.psicologado.com/psicopatologia/saude-mental/arteterapia-e-saude-emocional-de-pacientesem-tratamento-no-caps#ixzz1tNIItlIi

terça-feira, 3 de julho de 2012

Branca de Neve e o Caçador (2012)

Título Original
Snow White and the Huntsman
Gênero
Aventura
País
EUA
Língua
EUA
SinopseLocais de Exibição
Nova versão do clássico conto de fadas. O caçador, que originalmente foi chamado para matar Branca de Neve, agora é seu protetor e mentor na missão de derrotar a Rainha Má.

Por João Carlos Sampaio
Caçador ganha destaque em releitura da Branca de Neve

O célebre conto dos Irmãos Grimm parece mais atual do que quando foi escrito, no século 18. Depois da comédia Espelho, Espelho Meu, chega agora às telas o fantasioso Branca de Neve e o Caçador, que tem direção do estreante Rupert Sanders.

A famosa e doce heroína da história é vivida pela atriz Kristen Stewart (conhecida por ter encarnado a Bella, da série Crepúsculo). O ator Chris Hemsworth (Thor) encarna o valente caçador. A trama mantém vários aspectos do conto original, que tem na animação de Walt Disney, lançada em 1937, o seu grande marco no cinema. Mostra o caçador Eric (Hemsworth), que foi enviado pela Rainha Má (papel da atrizCharlize Theron) para capturar Branca de Neve. A moça fugiu do castelo, em que estava encarcerada.

Durante a busca, Eric descobre que a sua “patroa” quer, na verdade, matar a garota. Assim ele resolve arranjar um jeito de ajudá-la a fugir, superando os perigos da floresta encantada, a morada dos sete anões, que aparecem na trama como contraponto cômico para um enredo de aventuras, pensado para agradar a um público jovem.

O longa Branca de Neve e o Caçador tem estreia mundial nesta sexta e é uma grande aposta da Universal, conta com uma caprichada produção visual, intervenções digitais e toda a pompa das superproduções (orçamento não divulgado). Resta ver como o público reage, principalmente porque a história chegou antes em citada versão recente (Espelho, Espelho Meu).

Elenco
DiretorDuração
1:55
Censura
12 anos



SE ESSA POSTAGEM FOI ÚTIL, DEIXE UM COMENTÁRIO.